Sanjoanense perde a 15 segundos do fim, numa decisão de arbitragem polémica.

A Sanjoanense recebeu o FC Porto, líder do campeonato nacional da 1ª divisão, a saber que em caso de vitória asseguraria a manutenção. Já do lado dos portistas, eram necessários os três pontos para assegurar a liderança isolados. Favoritos à partida, os dragões chegaram a S. João da Madeira dispostos a mandar no jogo.

O FC Porto entrou na partida a impor um ritmo forte, praticando um hóquei rápido e com pressão alta sobre o adversário, com o objetivo de chegar rapidamente ao golo. Aproveitando alguns desequilíbrios nas movimentações dos alvinegros, e com alguma naturalidade, chegaram ao golo por intermédio de Gonçalo Alves, à passagem dos quatro minutos (0-1). Era o culminar de uma fase ascendente dos portistas.

A perder, Vítor Pereira mexeu na equipa e fez alguns ajustes. O conjunto ficou mais concentrado e foi conseguido um maior equilíbrio do posicionamento dos seus jogadores, saindo melhor para a contraofensiva. Aos sete minutos, corolário dessa melhoria em campo, chegou ao golo do empate, numa excelente execução de Facundo Navarro (1-1).

Foi uma primeira parte equilibrada com as equipas a respeitarem-se, mas a procurarem a vitória. No entanto, o marcador não voltou a sofrer mais alteração até ao intervalo, ainda que não tenham faltado oportunidades. Que o diga o argentino “Faco”, que na cara de Xavi Malián, na marcação de um livre direto, permitiu a defesa o guarda-redes portista.

No segundo tempo, a Sanjoanense entrou a acreditar que poderia passar para a frente no marcador e mostrou-se mais ofensiva, criando diversas situações de golo. Os alvinegros, porém, tiveram pela frente um guarda-redes em grande nível e que foi a figura do jogo.

A equipa persistiu e, aos 14 minutos, João Lima fez golo e colocou a Sanjoanense a vencer na partida (2-1), dando maior justiça ao marcador. Estavam por cima os homens de Vítor Pereira, que no minuto seguinte poderiam ter ampliando a vantagem.: penálti a favorecer os da casa e Pedro Cerqueira, chamado à conversão, permitiu mais uma grande defesa a Xavi Malián.

Os alarmes tocaram no banco do FC Porto e Cabestany meteu “toda a carne no assador”. A equipa começou a acercar-se com muito mais perigo da baliza de Tiago Freitas, que também esteve muito bem entre os postes. E, resultou, porque aos 20 minutos, Carlo Di Benedetto fez o golo do empate.

Era um final de partida eletrizante e a Sanjoanense, apesar de querer vencer, também não queria deixar fugir o empate que seria um resultado, apesar de tudo,  positivo. Mesmo assim, esteve perto do golo e a cerca de 20 segundos do final da partida, em plena área do FC Porto, houve um lance que deixou muitas dúvidas, mas que o árbitro Florindo Cardoso, mais perto do lance, nada assinalou. Seria a 10ª falta dos portistas, com direito a livre direto, no entanto, o que sucedeu foi uma saída rápida em transição dos jogadores portistas, que aproveitando o desequilíbrio defensivo da Sanjoanense acabaram por fazer o golo da vitória, por Naldo Garcia, a 15 segundos do apito final (2-3).

O sentimento de frustração e de injustiça reinava no rosto dos alvinegros, no final da partida, pois tinham acabado de deixar tudo no ringue, mas de forma inglória acabaram por perder. Com este resultado, a Sanjoanense ficou na 10ª posição com 23 pontos, ficando a faltar jogar duas partidas, por sinal fora de portas. Dia 10 de abril, pelas 12h00 frente ao Juventude de Viana, adversário que ainda também luta pela manutenção, e na última jornada em Alvalade, frente ao Sporting. Os alvinegros continuam a depender de si próprios para se manterem na 1ª divisão, e isso até pode acontecer na próxima jornada, em caso de vitória.

Jornal Oregional

ClubeJVEDP
F C Porto24193260
SL Benfica24154549
Juventude Viana24751226
UD Oliveirense23153548
Famalicense24721523
Sporting CP22155250
Riba D Ave24601818
AD Sanjoanense24581123
AD Valongo23761027
OC Barcelos24183357
HC Braga24721523
HC Turquel23461318
SC Tomar23106736
HC Os Tigres24312010