Visita a Gouveia foi amarga…

  • Sanjoanense merecia resultado bem melhor pelo jogo que fez.
  • Antijogo do Gouveia – que tudo fez para manter pelo menos o empate – foi uma constante.

 

Numa das maiores deslocações desta época, a Sanjoanense foi a Gouveia, de onde saiu derrotada pela formação local (2-1).

Depois do afastamento da Taça de Portugal, na semana anterior, os alvinegros sabiam que tinham que entrar bem no jogo e não permitir que o adversário se superiorizasse nos primeiros 45 minutos, como tinha acontecido em Espinho. E, à passagem do minuto 12, podiam ter inaugurado o marcador mas Vítor Silva chegou ligeiramente atrasado ao cruzamento de Ricardo Tavares, que se estreou a titular como defesa-esquerdo.

Numa primeira parte com poucas ocasiões de registo, só se verificou um novo lance de perigo por volta da meia hora de jogo e logo com o golo do Gouveia, na primeira vez em que os locais conseguiram visar a baliza sanjoanense. Na sequência de uma jogada de insistência pela zona central, Mendes rematou colocado, sem hipótese de defesa para Diogo Almeida.

Feridos no orgulho, os homens de São João da Madeira aumentaram a pressão e impuseram ainda mais o seu jogo, reduzindo o espaço de ação da formação serrana e apostando tudo no empate, que surgiria mesmo em cima do apito para o descanso, fruto de um autogolo de João Prietos, quando tentava desviar um novo cruzamento desde a esquerda de Ricardo Tavares.

O empate ao intervalo aceitava-se e acabava por dar justiça ao maior pendor da Sanjoanense, que foi sempre mais perigosa e com um fio de jogo mais esclarecido. Mas Pêpa não estava satisfeito e, na procura natural pelos três pontos, abdicou de Letz e Vítor Silva, lançando Ruizinho e Mário, na tentativa de dar maior dinâmica ao ataque.

O jogo, porém, não estava propício e a formação alvinegra continuava a sentir dificuldades em destacar-se, principalmente por culpa das constantes perdas de tempo propositadas e promovidas pela formação local, que tudo fazia para segurar um resultado positivo.

Ainda assim, a Sanjoanense não desistia de levar a melhor sobre o adversário mas, à passagem do minuto 65, a estratégia do Gouveia deu frutos e a formação da casa chegou à vantagem. Num lance muito duvidoso, Rui Silva, árbitro da partida, considerou que Catarino cometeu grande penalidade – fica a ideia de que não houve qualquer contacto e que o homem de Gouveia se aproveita do lance para conquistar a falta – e apontou para a marca do castigo máximo. Chamado a converter, Osório, que na época passada representou a Sanjoanense, não desperdiçou e estabeleceu aquele que viria a ser o resultado final.

De novo em desvantagem, Pêpa decidiu arriscar tudo e lançou o avançado Tono para o lugar do defesa João Edgar e, a 15 minutos do fim, o Gouveia ficou reduzido a 10, depois de Octávio ver o segundo amarelo por simulação.

Pouco depois, a Sanjoanense dispôs de nova oportunidade mas o golo foi negado, em cima da linha de baliza, por um jogador adversário.

Mesmo com mais um homem, a Sanjoanense não conseguiu o empate e, até final, nota apenas para os 8(!) minutos de desconto dados pelo árbitro da partida que, na realidade, poderia ter dado ainda mais. O antijogo dos comandados de Marco Tábuas foi constante e, imagine-se, até bolas eram lançadas para dentro de campo durante as investidas atacantes da Sanjoanense…

No entanto, tudo isso é história e a formação alvinegra saiu derrotada de Gouveia, mas pronta para dar a melhor resposta já no próximo fim-de-semana, na receção ao Gafanha.

 

11 Inicial: Diogo Almeida, Pardal, João Pinto, Edgar e Ricardo Tavares; Gian, Letz e Muxa; Alex, Catarino e Vítor Silva.

Jogaram ainda: Ruizinho (Letz), Mário (Vítor Silva) e Tono (Edgar). 

Futebol | Resultados Finais

Futebol | Resultados Finais

Seniores | Gouveia 2 – Sanjoanense 1

Juniores | Canidelo 0 – Sanjoanense 0

Juvenis A | Sanjoanense 9 – Paivense 0
Juvenis B | Sanjoanense 4 – Tarei 1

Iniciados A | Sanjoanense 1 – Avanca 1
Iniciados B | Anadia 2 – Sanjoanense 1
Iniciados C | Caldas 2 – Sanjoanense 3

Futebol | Agenda do fim de semana

Futebol | Agenda do Fim de Semana

Seniores | Gouveia – Sanjoanense domingo 15h

Juniores | Canidelo – Sanjoanense sábado 15 h

Juvenis A | Sanjoanense – Paivense sábado 15h
Juvenis B | Sanjoanense – Tarei domingo 9h

Iniciados A | Sanjoanense – Avanca domingo 11h
Iniciados B | Anadia – Sanjoanense sábado 15h
Iniciados C | Caldas – Sanjoanense domingo 10h

Sanjoanense cai na Taça de Portugal

  • Formação de São João da Madeira nunca se conseguiu impor verdadeiramente mas merecia melhor resultado.
  • Apesar da culpa própria, a agressividade dos homens de Espinho e o estado do relvado impediram uma melhor exibição.

 

Depois de isenta na primeira eliminatória da Taça, a Sanjoanense deslocou-se a Espinho no último domingo para discutir, com a formação local, o acesso à terceira fase da competição.

 Em alta no Campeonato Nacional de Seniores (CNS), os comandados de Pêpa procuravam dar seguimento ao bom momento, enquanto o Espinho, depois de um início de época menos bom, tinha, na Taça de Portugal, uma excelente oportunidade de se erguer.

No estádio comendador Manuel Violas, com um relvado que deixava muito a desejar, Espinho e Sanjoanense entraram a respeitar o adversário, com uns primeiros 15 minutos de pouco risco e jogo muito dividido a meio-campo.

A Sanjoanense parecia melhor, com mais fio de jogo e envolvência, mas seria a formação da casa a criar perigo, já perto do minuto 20, quando Jonathan cruzou desde a direita e Samate, já na pequena área, não conseguiu o melhor desvio, atirando por cima.

A oportunidade de golo acordou o Espinho e os tigres acabariam mesmo por chegar ao golo, já depois de um remate perigoso de Miguel Moreira. À passagem da meia hora, uma desconcentração defensiva da Sanjoanense obrigou Muxa a travar um adversário já dentro da área e, chamado a converter o castigo máximo, o capitão Ricardo Correia não desperdiçou.

Em desvantagem, a Sanjoanense tinha que correr atrás do prejuízo mas não conseguia impor-se, muito por culpa da agressividade que pautava o jogo dos homens de Espinho. E que o diga Gian que, pelo seu poder físico e qualidade, foi um alvo em movimento durante todo o jogo!

Ao intervalo o resultado aceitava-se, face ao maior rendimento da formação local e exigia-se mais dos comandados de Pêpa, que pareciam apáticos e, por vezes, sem ideias.

O treinador alvinegro sabia disso e bem tentou dar um novo rumo ao jogo, ao lançar, já na segunda metade, Stefan para o lugar de Catarino, para tentar dar mais rapidez e rebeldia às alas. Mas, logo de seguida, novo balde de água fria. Tiago, que logo nos primeiros minutos da segunda parte tinha visto amarelo por protestos, tem uma entrada mais ríspida sobre Samate, tendo imediatamente recebido ordem de expulsão.

Com menos um homem, a tarefa adivinhava-se bem mais complicada mas nem por isso os homens de São João da Madeira baixaram os braços e, por volta dos 60 minutos, poderiam ter chegado ao empate, mas o cabeceamento de Vítor Silva, a passe de Muxa, saiu ao lado da baliza à guarda de Stephane.

Era, claramente, uma tarde «não» e nem a expulsão de Jonathan, também por acumulação de amarelos, se revelou benéfica. A Sanjoanense continuava muito esforçada mas em dificuldades e as oportunidades escasseavam.

E o Espinho lá tentava aproveitar, principalmente numa altura em que a formação alvinegra já jogava completamente balanceada no ataque. Tanto que, à passagem dos 75 minutos, os tigres estiveram perto de aumentar a vantagem, na sequência de um remate de Lapa ao poste da baliza de Pedro Justo.

Até final, nada iria mudar e a Sanjoanense, apesar do esforço, cai na 2ª Eliminatória da Taça de Portugal. Ficam por terra o sonho e a esperança de encontrar um grande do futebol nacional e centram-se as atenções no CNS, que se retoma já no próximo domingo com a deslocação a Gouveia.

 

11 Inicial: Pedro Justo, Tiago, João Pinto, Edgar e Muxa; Letz, Gian e Fogaça; Alex, Catarino e Vítor Silva.

 

Jogaram ainda: Stefan (Catarino), Pardal (Fogaça) e Piolho (Edgar).

 

 

Declarações de Pêpa:

 Pêpa, foi um jogo bastante equilibrado, decidido com uma grande penalidade ainda na primeira parte. Depois do que a Sanjoanense fez, sente que a derrota é um castigo demasiado pesado?

É pesado porque saímos daqui com a certeza de que podemos fazer mais e melhor. E a frustração é mesmo essa, a de saber que, se tivéssemos estado melhor, tínhamos passado esta eliminatória, mesmo contra o melhor Espinho. Mas o futebol é fértil nisto… Entrámos apáticos, o golo resulta de um erro de cobertura e acabámos por dar uma parte de avanço.

Na segunda parte pusemo-nos a jeito de algumas situações… Nos cinco minutos de desconto, por exemplo, jogou-se um. E isto foi-se arrastando ao longo do jogo. O Espinho, depois de marcar, ficou confortável, a jogar em casa, sempre com muitas faltas, mas nós é que nos pusemos a jeito. Independentemente do valor do Espinho, esta é a minha leitura.

E mesmo que não tenhamos estado bem, foi um jogo com muita luta, equilibrado e em que poderíamos, se tivéssemos tido maior agressividade e maior critério no último terço, ter saído vencedores.

Mas, acima de tudo, temos que nos queixar de nós próprios.

 

A agressividade do Espinho foi uma constante logo desde o início da partida. Sente que essa agressividade dificultou que a equipa impusesse o seu jogo?

Dificultou, mas quem está lá para ajuizar e segurar o jogo não somos nós… Houve entradas de sola, muito violentas e que não nos deixavam sair a jogar. Mas quem está lá para apitar é o árbitro, nós estamos para jogar.

Condicionou-nos um bocado, mas não serve de desculpa. Isso pode acontecer em vários jogos e não nos podemos agarrar ao critério do árbitro, temos que tentar sempre impor o nosso jogo, sabendo que, até agora, todos os jogos têm sido muito intensos e de grande luta.

 

Terminada a participação na Taça, a próxima deslocação é a Gouveia. O que é que se pode esperar do adversário?

É uma equipa que subiu, como nós, foi campeã na Associação da Guarda e voltamos à competição que é o objetivo principal, porque queremos estabilizar a equipa nos nacionais.

Mas é um jogo diferente e hoje [domingo] estou muito triste. No ano passado calhou-nos a fava, o Ribeirão tinha um orçamento enorme e não tivemos sorte no sorteio. Mas este ano sentimos que tínhamos uma possibilidade de sonhar…

Mas não foi possível e agora há que virar a página. A tristeza acaba hoje [domingo] e vamos começar já a trabalhar para o próximo jogo. E, com todo o respeito que tenho pelo Gouveia, vamos, como sempre, jogar para ganhar. Queremos os três pontos.

 

Resultados Finais do fim de semana

Futebol | Resultados Finais

Seniores | Sp. Espinho 1 – Sanjoanense 0

Juniores | Sanjoanense 4 – Sp. Espinho 2

Juvenis A | Gafanha 0 – Sanjoanense 6

Juvenis B | Rio-Meão 1 – Sanjoanense 5

Iniciados A | Beira-Mar 0- Sanjoanense 3

Iniciados B | Sanjoanense 1 – Feirense 3


Iniciados C | Sanjoanense 1 – Paramos 0

Agenda do Fim de Semana

Futebol | Agenda do fim de Semana

Seniores | Sp. Espinho – Sanjoanense domingo 15h -Taça de Portugal

Juniores | Sanjoanense – Sp. Espinho sábado 15h

Juvenis A | Gafanha – Sanjoanense domingo 9h
Juvenis B | Rio-Meão – Sanjoanense domingo 9h

Iniciados A | Beira-Mar – Sanjoanense domingo 11h
Iniciados B | Sanjoanense – Feirense domingo 11h
Iniciados C | Sanjoanense – Paramos domingo 9h

Trabalho coletivo conjugou-se no pé esquerdo de Stefan

  • Sanjoanense encontrou algumas dificuldades mas superiorizou-se e conseguiu mais uma importante vitória.
  • Obra-prima de Stefan foi o momento da tarde.

 

Depois do empate sem golos, na última semana, no terreno do Camacha, a Sanjoanense recebeu o Marítimo C, a segunda formação madeirense presente na Série D.

Não conhecendo, à partida para o jogo, o sabor da derrota, os homens de São João da Madeira entraram determinados em continuar o bom desempenho até aqui demonstrado, procurando, desde cedo, a vantagem.

Ainda assim, foram os madeirenses os primeiros a criar perigo quando, à passagem dos 10 minutos, na sequência de um ataque pelo lado esquerdo, surge um potente remate, que obrigou Diogo a enorme defesa.

Com um jogo muito dividido e disputado a meio-campo, a Sanjoanense mostrava alguma dificuldade em impor-se, não conseguindo chegar com sucesso à zona de finalização.

O Marítimo, por seu lado, mostrava também poucos argumentos de registo e o nulo ao intervalo caracterizava uma primeira parte de baixo rendimento.

Para a segunda metade exigia-se mais e os comandados de Pêpa sabiam que teriam de trabalhar bastante para conseguir os três pontos. Mas, logo ao 10 minutos, Diogo foi obrigado a sair da área para evitar um contra-ataque que se adivinhava fatal e, depois de derrubar o avançado forasteiro, recebeu ordem de expulsão por parte de Sérgio Soares, o árbitro da partida.

Em inferioridade numérica, Pêpa colocou Pedro Justo e abdicou de Piolho, lançando também Stefan para o lugar de Catarino, optando por jogar com menos um homem no meio campo e mantendo a frente de ataque com três unidades.

E, pouco depois, a formação da Madeira ficaria também reduzida a dez unidades quando, a cerca de vinte minutos do final, Dino viu o segundo cartão amarelo, o que acabou por retirar alguma pressão aos homens da casa.

No entanto, apesar de melhor no segundo tempo e da estar já a justificar a vantagem, a Sanjoanense parecia não conseguir encontrar o caminho do golo até que, a 15 minutos do final da partida, Stefan resolveu à bomba um jogo que parecia destinado ao empate. Depois de uma arrancada pelo lado esquerdo, Muxa colocou a bola nos pés do jovem extremo e este, depois de bailar perante dois adversários, disferiu um potente remate, de pé esquerdo e ao ângulo, deixando Marco Jesus, o guarda-redes contrário, pregado ao relvado.

Até final a Sanjoanense soube gerir o resultado e os três pontos não fugiram, numa vitória justa, principalmente pelo domínio e trabalho demonstrados na segunda parte.

Com este resultado, a formação alvinegra mantém a liderança isolada da Série D e, na próxima jornada, desloca-se a Gouveia, em jogo da 5ª jornada da competição.

 

11 Inicial: Diogo, Tiago, João Pinto, Edgar, Muxa, Gian, Letz, Piolho, Alex, Catarino e Vítor Silva.

Jogaram ainda: Pedro Justo (Piolho), Stefan (Catarino) e Pardal (Tiago).

Resultados do Fim de Semana

Juniores | Gondomar 1 – Sanjoanense 0

Juvenis | Sanjoanense 3 – Feirense 0

Iniciados A | Sanjoanense 1 – Oliveirense 2

Iniciados B | Oliveira Bairro 3 – Sanjoanense 1